terça-feira, 28 de dezembro de 2010

ESCOLHAS DE UMA VIDA

 

A certa altura do filme Crimes e Pecados, o personagem interpretado por Woody Allen diz: "Nós somos a soma das nossas decisões".

Essa frase acomodou-se na minha massa cinzenta e de lá nunca mais saiu. Compartilho do ceticismo de Allen: a gente é o que a gente escolhe ser, o destino pouco tem a ver com isso.

Desde pequenos aprendemos que, ao fazer uma opção,estamos descartando outra, e de opção em opção vamos tecendo essa teia que se convencionou chamar "minha vida".

Não é tarefa fácil. No momento em que se escolhe ser médico, se está abrindo mão de ser piloto de avião. Ao optar pela vida de atriz, será quase impossível conciliar com a arquitetura. No amor, a mesma coisa: namora-se um, outro, e mais outro, num excitante vaivém de romances. Até que chega um momento em que é preciso decidir entre passar o resto da vida sem compromisso formal com alguém, apenas vivenciando amores e deixando-os ir embora quando se findam, ou casar, e através do casamento fundar uma microempresa, com direito a casa própria, orçamento doméstico e responsabilidades.

As duas opções têm seus prós e contras: viver sem laços e viver com laços...

Escolha: beber até cair ou virar vegetariano e budista? Todas as alternativas são válidas, mas há um preço a pagar por elas.

Quem dera pudéssemos ser uma pessoa diferente a cada 6 meses, ser casados de segunda a sexta e solteiros nos finais de semana, ter filhos quando se está bem-disposto e não tê-los quando se está cansado. Por isso é tão importante o auto conhecimento. Por isso é necessário ler muito, ouvir os outros, estagiar em várias tribos, prestar atenção ao que acontece em volta e não cultivar preconceitos. Nossas escolhas não podem ser apenas intuitivas, elas têm que refletir o que a gente é. Lógico que se deve reavaliar decisões e trocar de caminho: Ninguém é o mesmo para sempre.

Mas que essas mudanças de rota venham para acrescentar, e não para anular a vivência do caminho anteriormente percorrido. A estrada é longa e o tempo é curto.Não deixe de fazer nada que queira, mas tenha responsabilidade e maturidade para arcar com as conseqüências destas ações.

Lembrem-se: suas escolhas têm 50% de chance de darem certo, mas também 50% de chance de darem errado. A escolha é sua...!

PEDRO BIAL

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

UMA DAS MAIS BELAS E VERDADEIRAS MENSAGENS.

 FILTRO SOLAR

Nunca deixem de usar filtro solar!
Se eu pudesse dar uma só dica sobre o futuro,seria esta: use filtro solar.Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar
estão provados e comprovados pela ciência;
já o resto de meus conselhos não tem outra base confiável além de minha própria experiência errante.

Mas agora eu vou compartilhar esses conselhos com vocês.
Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude.
Ou, então, esquece... Você nunca vai entender mesmo o poder
e a beleza da juventude até que tenham se apagado.
Mas, pode crer, daqui a vinte anos, você vai evocar as suas fotos e
perceber de um jeito - que você nem desconfia hoje em dia
quantas tantas alternativas se lhe escancaravam à sua frente,
e como você realmente tava com tudo em cima.
Você não é tão gordo(a) quanto pensa!

Não se preocupe com o futuro.
Ou então preocupe-se, se quiser, mas saiba que pré-ocupação
é tão eficaz quanto mascar chiclete
para tentar resolver uma equação de álgebra.
As encrencas de verdade de sua vida tendem a vir de coisas que nunca
passaram pela sua cabeça preocupada, e te pegam no ponto fraco às quatro
da tarde de uma terça-feira modorrenta.
Todo dia enfrente pelo menos uma coisa que te meta medo de verdade.
Cante.

Não seja leviano com o coração dos outros.
Não ature gente de coração leviano.
Use fio dental.
Não perca tempo com inveja.
Às vezes se está por cima,
às vezes por baixo.
A peleja é longa e, no fim,
é só você contra você mesmo.
Não esqueça os elogios que receber.
Esqueça as ofensas.
Se conseguir isso, me ensine.
Guarde as antigas cartas de amor.
Jogue fora os extratos bancários velhos.
Estique-se.

Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida.
As pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam,
aos vinte e dois, o que queriam fazer da vida.
Alguns dos quarentões mais interessantes que conheço ainda não sabem.
Tome bastante cálcio.
Seja cuidadoso com os joelhos.
Você vai sentir falta deles.
Talvez você case, talvez não.
Talvez tenha filhos, talvez não.
Talvez se divorcie aos quarenta, talvez dance ciranda em suas bodas de diamante.
Faça o que fizer, não se auto-congratule demais, nem seja severo demais com você.
As suas escolhas tem sempre metade das chances de dar certo.
É assim pra todo mundo.

Desfrute de seu corpo.
Use-o de toda maneira que puder. Mesmo.
Não tenha medo de seu corpo ou do que as outras pessoas possam achar dele.
É o mais incrível instrumento que você jamais vai possuir.
Dance.
Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto.
Leia as instruções, mesmo que não vá segui-las depois.
Não leia revistas de beleza. Elas só vão fazer você se achar feio.

Dedique-se a conhecer os seus pais.
É impossível prever quando eles terão ido embora, de vez.
Seja legal com seus irmãos. Eles são a melhor ponte com o seu passado
e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro.
Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão de uns poucos e bons.
Esforce-se de verdade para diminuir as distâncias geográficas
e de estilos de vida, porque quanto mais velho você ficar,
mais você vai precisar das pessoas que conheceu quando jovem.

More uma vez em Nova York, mas vá embora antes de endurecer.
More uma vez no Havaí, mas se mande antes de amolecer.
Viaje.

Aceite certas verdades inescapáveis:
Os preços vão subir. Os políticos vão saracotear.
Você, também, vai envelhecer.
E quando isso acontecer, você vai fantasiar que quando era jovem,
os preços eram razoáveis, os políticos eram decentes,
e as crianças, respeitavam os mais velhos.
Respeite os mais velhos.
E não espere que ninguém segure a sua barra.
Talvez você arrume uma boa aposentadoria privada.
Talvez case com um bom partido.
Mas não esqueça que um dos dois pode de repente acabar.

Não mexa demais nos cabelos senão quando você chegar aos quarenta
vai aparentar oitenta e cinco.
Cuidado com os conselhos que comprar,
mas seja paciente com aqueles que os oferecem.
Conselho é uma forma de nostalgia.
Compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado do lixo, esfregá-lo,
repintar as partes feias e reciclar tudo por mais do que vale.

Mas no filtro solar, acredite!

PEDRO BIAL

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

TEMPO PARA VIVER


O tempo passa tão depressa que nem mesmo percebemos.
A tão pouco tempo éramos apenas bebês querendo aprender, aprender a andar, a falar, a fazer os outros sorrirem, e então passou tão depressa que aquele bebê está indo para o primeiro dia de aula(nem suspeitamos que iremos cansar de tanto ir a escola). Aprendemos a desobedecer e então quando menos percebemos entramos na fase mais BIPOLAR de nossas vidas "adolescência", ô palavrinha mais difícil de se entender. Tudo aquilo que aprendemos ao longo dos tão corridos anos são agora totalmente negligenciados. Um dia se é completamente feliz, no outro o mundo é uma merda (desculpa a palavra, mas é exatamente assim).
Aí acontece o tão esperado primeiro "amor", primeiro beijo, AHHHHHH, como sonhamos com este momento e como sofremos por ele. O tempo passa ai você "ama" novamente, sofre novamente como um ciclo. O tempo passou tão depressa que você já perdeu a conta de quantos "amores" foram vividos e quantos foram perdidos, o que acabamos percebendo mais tarde que estes "amores" não passaram de paixonites e que muitas ainda virão.
Os anos correm e quando percebemos já estamos formados e precisamos novamente aprender a andar sozinhos, é a luta pelo primeiro emprego ou para entrar em uma faculdade, enfim para ser alguém na vida, ai pensamos "por que não sou apenas aquele bebê risonho que cativava a todos?".
Assim o tempo passa tão depressa que nem ao menos conseguimos refletir o que foi feito até agora, ou o que deixamos de fazer, tudo o que temos é pressa, pois, o tempo não para.
Portanto devemos viver cada momento o mais intenso possível, para que daqui a 20, 30 ou quem sabe 50 anos possamos olhar para traz e ver que o tempo foi curto mais a caminhada deveras longa.

JULIANA AVELAR


quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Os homens na balada

O MAROMBADO
             Esse tipo provavelmente estará trajando camiseta justinha. Isso porque ele precisa mostrar cada centímetro de seu bíceps, conquistado com horas de academia e suplementos alimentares de cavalo. Ele é um tipo armário e tá se achando, portanto, quando vai para pista... saiam de perto! Com um gingado de madeira-de-lei, ele "dança" executando séries e mais séries de movimentos com os braços... Passará a noite fazendo essa dança ao redor da "TÔ ME ACHANDO".

O TOPETE+CAMISETA+CAMISA
               Balada para esse tipo é dia de vestir essa combinação básica! Penso que essa moda só pode ter sido lançada por algum tipo, em propagandas de marcas conhecidas.O fato é que e este tipo, também conhecido como mauricinho, segue esse estilo como se fosse membro de uma seita. Anda em bandos e todos seguram uma bebida enquanto ficam em rodinhas babando para as "TÔ ME ACHANDO", zoando as "PORRA-LÔCA" e fugindo das "AMIGALINHAS". Esse tipo fica grande parte da noite passando a mão no topete, arrumando os fios rebeldes enquanto finge estar curtindo a balada com a galera da seita.

O PSEUDO-INTELECTUAL DA BALADA
          Esse é aquele que, como TODO HOMEM, avalia as mulheres pelo quesito BPPC (bunda, perna, peito, cara), mas... tem a cara-de-pau de chegar junto, secar seu decote e falar: "Oi... você leu o último livro do Saramago? ". Esse tipinho não vai para a pista. Afinal, ele curte mesmo é... JAZZ! Obviamente ele acha que o Jô Soares é o maior músico de jazz do mundo! Enfim, esse pseudo- intelectual-man passa a noite no bar bebendo... uísque, porque cerveja é muito povão! Como na maioria dos casos ele é desprovido de beleza, tem de arregaçar as mangas para mostrar seu rolex novinho e ver se sua "intelectualidade" chama a atenção de alguma nota A em BPPC.

O AFOBADINHO ALCOOLIZADO
    Esse tipo são os tímidos, tiozões (de 18 a 60 anos, porque estilo tiozão não tem idade), rejeitados, complexados, depressivos, enfim, todo o público-alvo das empresas de bebidas alcoólicas. Eles ficam ali na porta do banheiro feminino (!!!) curtindo aquele cheiro de pinho sol com xixi enquanto mandam ver no décimo copo de álcool. Aí fazem a alegria das AMIGALINHAS quando bolinam as meninas com cantadas grotescas ou se jogam em cima das passantes. No começo da balada até dá para entender as coisas idiotas que o tipo fala, mas lá para o meio da noite, eles tomam sua forma real, a de ANTAS, e passam a emitir apenas grunidos. No fim da noite, ele s não terão "catado" ninguém porque quando alguma AMIGA INHA ia aceitar a "corte" do tipinho, ele desmaia e vai atrapalhar o sono de algum residente de plantão no HOSPITAL DAS CLÍNICAS: coma alcóolico na certa.

A PESSOA EM DIA "FUN FOR ME"
    Suas vestimentas são adequadas e ele vai abilolar na pista com um bom humor de dar gosto!!! Conhece todas as músicas e sabe exatamente o que fazer com braços, cabeça, pernas! Não fica bêbado apesar de beber boas doses de álcool. Se você estiver a fim, ele vai adorar dançar com você. Tem um ótimo papo e é super educado e gentil: abre passagem, entra na muvuca do bar para comprar bebida para você e te ajuda a prender aquela mecha de cabelo que cai insistentemente em seu rosto. Enfim, ele é o par perfeito para uma balada. Ah... sim, ele é gay!!! 

Bjinhos